Coração de Guerreiro – Epílogo

Quando suas mãos já estão cansadas de carregar a espada, tudo que ele procura é um lugar de descanso, alguém para envolver em seus braços em frente a fogueira acolhedora, alguém para ele proteger dos sonhos ruins.

Ele já passou por muitas coisas, seu corpo físico e espiritual é marcado pelas cicatrizes do viver, e mesmo assim ele acredita que pode protegê-la, diferente de todos os que vieram antes dele, que prometeram e não cumpriram.

Durante os últimos anos ele se escondeu atrás da espada onde podia passar despercebido, apenas observando o sorriso dela refletido na lâmina de sua protetora.

Mas agora ele tem mais sabedoria para compreender que a batalha é constante, que os inimigos evoluem a medida que seu espirito se fortalece.

Que ele deve sim, almejar um lugar pacifico para repousar, mas que este não será permanente, que ele deve sim proteger sua amada, mas que mais do que isso ele precisa reconhecer que ela é sua companheira, com cicatrizes e força própria para acompanha-lo em sua jornada.

Agora a consciência toma conta do guerreiro, depois de muita fuga fica claro que a espada era apenas uma ferramenta, que a verdadeira proteção se encontra na harmonia de um lar que reúne as almas com o mesmo objetivo, que o seu sucessor vai carregar a espada, se machucar e ter o corpo cheio de cicatrizes e que ele não poderá protege-lo, mas que tudo que aprendeu ao longo dos anos e tudo que construiu ao lado de sua amada estarão no coração daquele que dará prosseguimento a sua missão e que um dia terá condições de vencer suas próprias batalhas.

E depois disso tudo compreender o guerreiro se ajoelha mais uma vez, mas ele não necessita de novos pedidos, ele compreendeu que tudo que era necessário lhe foi dado desde sua primeira respiração então ele simplesmente agradece a jornada, os obstáculos, as cicatrizes e as lagrimas, pois, tudo era necessário para sua vitória.